domingo, 6 de maio de 2012

Pequena Árvore

Pobre árvore, tão jovem e já trancafiada. Não, não, ela não matou ninguem, não cometeu nenhum crime. Muito pelo contrário: ela foi vitma de um crime terrivel! Diversas vezes lhe chutaram, lhe pisaram, "é só um mato" alguns disseram... coitada! Uma nobre árvore, que tem um futuro frondoso pela frente, que irá, quem sabe, produzir frutos, oferecer sombra no verão, morada para pássaros confundido com um mato, um capim! Não desmerecendo o capim, seu objetivo também é válido, porém ele tem uma tolerancia maior a "pisões".

Agora luta desesperada, em meio a uma calçada rasgada pelos anos sem conservação, uma rua de extremo movimento, de poluição diariamente, de lixo jogado em sua pequena ilha de terra - os espaços ao redor foram todos, habilmente, cimentados -, papeis de bala, tocos de cigarro, restos de construção... coitada da pequena árvore, obrigada a viver em meio a tantos seres que não entendem que ela precisa de espaço, precisa de um ambiente favorável, precisa de tanta coisa nesse primeiro momento e os humanos, lhe negam qualquer chance de sobrevivência!

Todos os humanos não, é verdade. Alguns humanos, temendo pela vida da pobre lhe aprisionaram. Não por seu mal, longe disso, esperam salva-la a todo custo. Esperam que, apesar da atitude da maioria, a árvore possa crescer, florescer, dar frutos, ninho para pássarinhos e, assim, ela propria se libertar do cárcere a que fora obrigada a viver e cobrir, em dias quentes, a cabeça, mesmo daqueles que a pisaram, chutaram... tudo pra mostrar que não guarda nenhum rancor.

2 comentários:

Anônimo disse...

Quantas vezes nos parecemos com ela? Adorei o texto.

Thata B. disse...

Escreveu inspirado em mim, Lu? KKKK