domingo, 4 de março de 2012

o impossivel

Mais cedo, conversando com minha amiga de longuissima data Fê, fomos parar no assunto de namoro e tal, acontece que fomos parar na pergunta "qual o seu tipo de mulher?", falamos mais um pouco, eu (pra variar) cantei algumas músicas e citei uma frase de um filme (Velozes e Furiosos 4) em que o cara (no caso o Dominic Toretto (Vin Diesel)) fala qual o seu tipo de mulher, vou colar aqui:

"Tudo começa com os olhos, ela tem que ter o tipo de olho que vê mais que mera futilidade, vê o bem em alguem, 20% anjo e 80% demonio, com os pés no chão, uma mulher que não tenha medo de sujar as mãos com graxa de motor."

Porém ocorre que essa mulher é praticamente inexistente, aí fomos parar no tema que gostamos de pessoas impossiveis. Foi quando lembrei (lembrei pelo fato de estar ouvindo) a música dos Paralamas "o impossivel é meu mais antigo vício". Me peguei pensando nisso de impossivel, alguem me disse certa vez que achar que algo é impossivel é já ter uma desculpa pra não correr atrás. Mas não é assim. Eu sei que essa mulher existe em algum lugar e sei que escrevo muita bobagem, ando muito emotivo é verdade, mas é assim que sou. Quanto à existência dessa menina-mulher que tenha a maturidade para reconhecer os problemas que, realmente, valem a preocupação e que, mesmo assim, não perca a leveza no olhar e o sorriso, mesmo que fino, nos lábios ao fim de um dia ruim. Impossivel acha-la? Rá, vou seguir com minha fé de que um dia a encontro.

3 comentários:

Fê disse...

Lú,

Como sempre, leio e babo nas coisas que você escreve!
Nós vamos, vamos sim, encontrar a nossa cara metade... Como dissemos, somos viciados no impossível...

Pode ser que ainda precisamos a aprender que:

"Se aprende a amar não quando se encontra a pessoa perfeita e sim quando se aprende a crer na perfeição de uma pessoa imperfeita."

Em fim... vamos vivendo, aprendendo, sonhando...

Nana disse...

Amei essa frase que não conhecia "o impossivel é meu mais antigo vício" e adorei ainda mais o texto - pra variar. Acho que sou mais uma nesse clube ;) *rs
Beijos.

Bєℓℓ disse...

Sempre que venho aqui (sorrio) me sinto a caminho de um lugar completamente novo ainda que muito conhecido. Te ler (ouvir) é como descobrir sempre uma maneira diferente de sentir. É achar formas de interpretar sem ter que explicar o que esta escrito, descrito. Não acho que escreva "bobagens" pois teria de achar que faço o mesmo. E você, assim como eu, escreve o que sente. Poucas pessoas são capazes de descrever "o sentir" desta forma latente, real, visual. Quase que posso tocar seu coração ao te ler. E sim meu amor... Papai do Céu há de ouvir-te e mandar-te esta menina, e acredite (e não discorde) serei tão senão mais feliz que ti, quando chegar a mim e dizer: - Hei Bell, eu não disse que ela era REAL! Te amo meu menino. Sempre muito e TANTO.