domingo, 22 de janeiro de 2012

quis

Ontem eu estive em um balneário não muito longe daqui, tirei muitas fotos, vi muitos lugares legais... no caminho de volta pensei em lhe contar sobre a praia, sobre uma montanha que subi e vi o mar lá de cima, das sete ondinhas que pulei (ué, atrasado também vale né?) e te mostrar as fotos que tirei... vim decidido a passar por cima de tudo que aconteceu, mas... no instante que eu fui lhe chamar algo me segurou (o avatar na porra do perfil?) e me fez voltar e deixar quieto, deixar tudo como está, tudo em silêncio... infelizmente.

2 comentários:

Anônimo disse...

Sabe... "suspira" (seu silêncio me deixa maluca) e só não piro de vez, porque (ainda ouço a tua voz, ricocheteando em meu ouvido)aquelas palavras repetitivas, aquelas frases já tão batidas. Aquele tom, que só você sabe usar pra acalmar meu coração. A noite chega, você não vem, não esta! (e eu já sabia) Me tirou de lá, saio, nem sei como pensar. Recosto na cama, fecho os olhos... (não quero ver ninguém, não quero falar com ninguém, não quero ouvir ninguém) ... fico imaginando o que faz agora, pra onde olha, com quem fala, o que escreve, pra quem? (dói) Fico me perguntando como, porque, onde foi que errei? (dói)As nuvens me encaram, a lua me avalia, o mar parece revolto. Nada se encaixa. Pareço estar perdida. Sinto-te perdido. E rezo pra que nos encontremos mesmo que não seja pra seguirmos. Quem sabe pra perguntar como vai, ou dizer que sentimos muito. (tanto a ausência um do outro)que no final, fazer silêncio acaba fazendo mais sentido.

Thata B. disse...

E quando volta, faz toda aquela beleza tão ampla que compartilharia se tornar só mais um detalhe...