quarta-feira, 25 de maio de 2011

Rubro

Aquele ponto rubro não era nada mais que "mais um ponto rubro". Porém esse ponto destoava dos demais, era maior, em meio a um campo branco aquele ponto flamejante, pulsante... expelindo. No meio de tudo isso o frio - mesmo no dia quente - era intenso. Não havia coberta nenhuma que a esquentasse, que a confortasse. Das orbes saía a algo viscoso, liquido. Pela cabeça rondavam pensamentos que a muito não tinha, os pensamentos pelo requiem... ao fundo a melodia baixa, o que era? Chopin? Bethoven? BB King? Não importava... era boa, a relaxava mais do que todos aqueles remedios, meditações... se ateve as lembranças recentes, os novos amigos, prometia muito... mas estava cansada demais pra esperar as promessas se concretizarem. Dormiu.

2 comentários:

Tangerine disse...

Lu, quando acordar, não sei se a melodia vai ser melhor (superar um combo de Chopin, Beethoven e BB King? difícil) mas provavelmente os sentimentos serão outros, nada a ver com requiem, mas com vida, viu? Boa sorte, sonhe muito e acorde logo!

Camila F. disse...

cê gosta desses temas, né?...

já leu "O lobo da estepe"?